14 fevereiro, 2011

Resenha: A Passagem

Gostou deste artigo? Então clique no botão ao lado para recomendá-lo aos seus contatos do Google! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter e assinar nosso Feed.
Editora: Sextante

Autor: A. J. CRONIN

ISBN: 9788599296820

Ano: 2010
Número de páginas: 816



 "Esta é a história de vampiros que você não pode perder: 15 páginas são suficientes para cativá-lo; depois de 30, você se descobrirá prisioneiro, lendo noite adentro. Um livro com a força dos épicos." - Stephen King
A Passagem é um suspense implacável, uma alegoria da luta humana diante de uma catástrofe sem precedentes. Da destruição da sociedade que conhecemos aos esforços de reconstruí-la na nova ordem que se instaura, do confronto entre o bem e o mal ao questionamento interno de cada personagem, pessoas comuns são levadas a feitos extraordinários, enfrentando seus maiores medos em um mundo que recende a morte. 
Quando você acha que a imaginação dos autores para falar de certo assunto, mas claramente dizendo “vampiros” já está escassa, você se surpreende ao ler as 816 páginas de A Passagem. Todas essas muitas páginas magnificamente bem escrita, entre elas acho que uma média de 20 páginas eu li rapidamente sem muito interesse, mas não porque eram partes chatas eu desinteressantes, e sim porque eu queria saber urgentemente o que ia acontecer a seguir.

O Mundo de antes, um lugar normal como o nosso, onde as pessoas brigam pelas mesmas coisas nossas, dinheiro, comida, ganância, poder; onde animais servem de cobaia, onde pessoas (que eles acham que por não terem ninguém no mundo seriam as cobaias certas, só esqueceram que estas pessoas ainda possuem uma alma), homens, e o mais repugnante, até onde vai à loucura de um homem em busca de um objetivo, uma criança, Amy; porém ela não era igual a todos.

Os testes ficam fora de controle, as cobaias que agora são monstros, vampiros, se libertam vão a procura de sangue e mais sangue, consomem todo o continente, o exercito não consegue controlar estas criaturas, há somente um ponto fraco neles e uma única chance de acertar antes de ser morto.

O Mundo de Depois, após a devastação do continente pelos virais, um grupo de sobreviventes tenta manter-se vivo um dia após o outro, a cada começo de noite um nova preocupação, são quando as estrelas (virais/vampiros/fumaças) podem sair sem serem machucados pela luz do dia, as luzes são ligadas para a proteção da colônia, mais sempre há um viral para tentar ultrapassar os muros e assim algumas vidas são perdidas e outras tomadas.

Um século depois, quando a esperança já havia acabado uma andarilha aparece nos portões da colônia, e ela acende a chama da esperança em alguns sobreviventes e a discórdia em outros, em busca de sabe-se lá o que os mais determinados e que unidos por laço de amor, amizade e esperança saem das proteções da colônia para um mundo dominado pelos virais para achar algo que possa ajudar a todos, algo que eles desconhecem, que eles temem, mas que é a única coisa na qual eles acreditam poder salva-los.
Um livro cativante, nem um pouco cansativo, um narrativa ótima que mostra o pensamento de muitos personagens, a visão de cada um sobre a situação, os desejos, as angustias... E no final você le a ultima palavra, rele... E diz: Ahh, acabou??? Eu queria mais!!! As 816 páginas não foram e não serão suficientes, ainda bem que Justin Cronin resolveu fazer uma trilogia!!! Ansiosa!

0 comentários:

Postar um comentário

Add This

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...